quarta-feira, 4 de julho de 2018

"Sendo terra, sendo água, sendo mulher, aprendi que sou também abundância, e deixo correr os rios de minhas entranhas em mim."

O que em mim é sensível, o que em mim se permite abrir, perceber, ultrapassar as fronteiras da segurança ilusória e enfrentar o medo do desconhecido, é a mesma parte de mim capaz de conectar-se com o todo, capaz de expandir-se a ponto de sentir “ser Deus”.
Ali onde me sinto pequena e vulnerável, onde a minha criança chora porque se sente assustada demais para pedir ajuda, ali onde tudo parece grande demais e os medos crescem de debaixo da cama como sombras na parede do quarto, ali, exatamente ali, reside também o meu poder.
É nesse ponto, no enfrentar o monstro que se ergue, no tremer diante dele e ali poder chamar o guia interior para manter-me em pé: é nesse exato segundo que podemos colher o milagre se estamos atentos. Somente permitindo-me estar presente no meu instante de maior terror poderei ver que o monstro que me assusta é um brinquedo, cuja sombra foi amplificada pelo meu espelho. Somente ali, poderei olhar pela janela e perceber que é o escuro da noite a permitir que possamos ver as estrelas e redimensionar o universo nos parâmetros da sua grandeza. Saio do meu pequeno para me lembrar que de cima, sou parte de um grande quadro, de uma grande dança, e que meu grito sentido não perturbará o navegar dos astros. Ao contrário, se o interrompo antes que ele estilhace o meu pequeno ecossistema, antes que ele possa comunicar às minhas células o seu sinal de alarme, em mensagem de pânico e caos, será o átimo de contemplação da grandeza, o movimento da harmonia, a comunicar-lhe algo. Será então o universo a dizer, “repara quanta paz existe no girar de um planeta”, “observa com qual aceitação uma estrela fugaz explode no céu e desaparece, com qual desapego doa suas cinzas à imensidão vazia sem se perguntar sequer sobre a morte, sem ter percebido sequer um dia haver um corpo, e sem então sofrer na sua trasmutação porque toda a sua consciência apenas habita o existir.”

No meu medo há uma porta, e quando ele vem agradeço então a possibilidade de vê-la, e farei ainda melhor se abraçar a ocasião para passar por ela. Na vulnerabilidade recolho meus cacos, todo o meu ser que se alongara, se perdera, até não se reconhecer mais em si, recolho todo esse material inutilizado para reuni-lo de novo na extensão de meu umbigo, no centro de meu corpo, ali onde com um movimento vigoroso de músculos reúno toda a minha força para chamar a consciência para a matéria de novo e perceber num movimento simples o potencial de contração presente na origem de toda vida, de todo ser. Eu habito o meu centro, e mais do que isso habito cada parte de mim, toda a extensão de meu corpo, para não deixar entrar nada que não venha de minha suprema consciência. Sou a guardiã do castelo, e nesse momento defino, anuncio com firmeza na voz, que nada entrará aqui sem as minhas boas vindas, sem o meu consentimento, nada entrará aqui que não seja para preencher de luz e cor as flores que já desabrocham no meu jardim. São bem-vindas crianças com luz a brotar da alma que corram e preencham de som e alegria as bancadas entre as folhas, são bem-vindos pássaros, que com seu canto me concedam a contemplação do puro espírito em minha alma, são bem-vindas borboletas, telas vivas da arte do criador, espelhos para o meu infinito potencial de criação.

Aqui, no castelo de meu ser, de minha existência, eu habito em amor ao universo que existe em mim, que sou eu, e escolho que a lei que impera aqui é a lei do amor. Nenhuma folha se moverá e nenhuma palavra ecoará que não seja movida pelo sopro de amor do que em mim é eco do criador. Que assim seja, pois assim me  aproximo de novo da minha soberana identidade, vasta como tudo que existe.
... 
- Larissa Lamas Pucci -

terça-feira, 3 de julho de 2018

Diário de Bordo ... que mundo estamos deixando para nossos filhos ...

... e que filhos estamos deixando no mundo ... que ser humano terá o futuro em suas mãos ...

Há dias ando com esse questionamento rondando na minha cabeça e sem ânimo para ordenar as ideias e registrar aqui na minha caixa de pandora ... 

Tudo começou com uma postagem da minha amiga Rosane no instagram ... eu estava indo ver minha filha e sentada na rodoviária, li e chorei ...


... "  Há umas duas semanas fomos a um parque, longe de casa, eu e Enzo. Uma menina, talvez com oito ou nove anos, disse para outra menina que estava com ela: "vamos ficar longe desse louco", referindo-se ao meu filho. O adulto que as acompanhava ouviu e nada disse, apenas foi atrás delas. Teria gostado se ele tivesse se manifestado, dito qualquer coisa. A indiferença é triste.
O Enzo resilinte da porra que é, se afastou, subiu no escorregador e desceu. Lhe dei
espaço para a tristeza, se caso ele a sentisse, tristeza precisa de espaço, não deve ser reprimida, pensamos assim, então o acolhi. Ele me olhou e deu um sorriso do tamanho do mundo, como se me dissesse: se fingir de surdo é mais que loucura, é força. Pensei enquanto lhe esmagava de amor: olha eu aqui achando que podia acolhe-lo e quem me acolhe é ele. Fomos correndo, os dois, brincar.
Ela o chamou assim por que ele chegou no parque e correu abraçá-las, pensa num abraço bom, as duas ficaram eretas, se quer mexeram um dedo.
Fiquei pensando que aos olhos delas e desse adulto meu filho realmente era um louco. Fiquei feliz que só. Ele deve ser louco mesmo para se entregar com tudo para o afeto. O mundo não é simples assim, esse medo de abraçar virou apego, absolutamente compreensível, das mentes muito sãs.
Essa vontade de conhecer gente (bicho também), abraçar gente (bicho também) e de amar gente (bicho também) é uma característica forte dos nossos filhos, dos dois. É tudo em abundância, é abraço desses de pular no colo, de cair no chão ou de rodar nos braços, é amor sem medo, desses que andam chamando de loucura. Eles aprenderam com a gente e com outras gentes-amor que viver menos que inteiros não é bom, vira vida mentirosa e vazia.
A Raquel perdeu um pouco dessa espontaneidade por nossa conta, tivemos que dizer a ela (por medo da insegurança) que não pode andar por aí abraçando todo o mundo e que pode ser perigoso conversar com estranhos longe dos responsáveis (que merda ter que ensinar isso para os filhos).
 Em casa, eu ia dizer ao Enzo que não se deve abraçar as pessoas desse jeito, que algumas se assustam com o afeto, justamente porque não estão acostumadas com ele. Mas não disse nada, por ora não.
Aviso aos navegantes dessa rede-amizade: esse não é um texto triste, muito menos rancoroso. É um texto de pura alegria e felicidade, não se convalescençam pela ofença que passamos, eles pensam assim, eles sentem assim, é direito deles, estamos todos muito bem. Na verdade, eu sou muito feliz em ter filhos loucos de amor, com olhos carregados de bondade e o peito estufado de coragem.
Eu só quero abraço e comentário do tipo "que massa Rô, estamos juntos". Me sinto uma mulher-mãe fodona por ter conseguido (a parte que me toca) ensinar os meus filhos a ver o mundo desse jeito. Eles não têm medo de sentir e muito menos de expressar o que sentem. Não sou perfeita, Deus me livre dessa cruz, só sou eu mesma, e como tal sei que não tenho e nem terei domínio sobre a vida de ninguém, nem dos meus filhos, respeito os meus limites e o limite dos outros, mas quero que eles saibam que estou aqui, que me jogo junto nessa loucura linda de acreditar no amor. Quero que eles saibam: que venha o que vier é com um abraço que se acolhe a vida. " ...

  • alikscabralCaramba ... que mundo é esse que pensa ser loucos pessoas de coração aberto que chegam e abraçam e se sentem felizes em ser assim ..
  • alikscabral... tem dias que tudo o que precisamos é de alguém que chegue sem avisar e nos envolva com um abraço puro ..
  • alikscabral... queria um abraço desse !!


... e esse foi meu comentário na postagem ...

Criamos filhos preconceituosos pois somos preconceituosos ... criamos filhos indiferentes pois somos indiferentes ... criamos filhos arrogantes pois somos arrogantes ... 
A natureza do homem em processo de decadência ... o espírito em decadência !!!
O mundo material ditando as regras ... o ter ... o poder ... 
O poder de tornar o povo mais fraco ... doente ... veneno em nossos pratos ... veneno em nossas mentes ...

Com o espírito doente ... o corpo doente ... nos tornamos escravos !!!



terça-feira, 26 de junho de 2018

INVERNO – A ESTAÇÃO DA RENOVAÇÃO E DA SABEDORIA

Resultado de imagem para xamanismo roda medicinal


Para resgatarmos o “Sagrado” é fundamental a criação de uma atmosfera sagrada que proporcione um estado de consciência para garantir a entrada numa determinada Rede de Poder, a Criação do Espaço Sagrado. O estabelecimento de um momento mágico .
...
Época para libertar de velhos padrões negativos de comportamento, preparar-se para pequenas mudanças e para as mudanças maiores que virão. A energia do inverno ajuda as pessoas a atingirem uma compreensão de suas próprias vidas, a ter a aceitação do que elas alcançaram ou não.
O inverno representa os buscadores de conhecimentos que nos oferecem novas visões da humanidade e também os sábios e anciões que serviram-nos de inspiração através dos tempos. Celebra a alegria de pertencer, o valor do vínculo familiar e dos relacionamentos. Marca um tempo para fazer ajustes, da purificação da intenção, a preparação da chegada da primavera e a transição para um novo ciclo de atividades da Roda do Ano.
A energia do inverno tem uma força interna e poder para mudar fluidos em sólidos, para conduzir situações incertas à ajustes permanentes. Não é fria, na prática, mas quente, com compaixão para permitir fluir suas emoções mais livremente, e assim o desenvolvimento espiritual não fica congelado.

(  http://witchclubhouse.blogspot.com/ )

terça-feira, 12 de junho de 2018

Diário de Bordo ... declarações veladas

Marido às voltas com o namoro recente da filha ... resistente pra dizer a verdade (rsrsrs) ... então entre uma conversa e outra revela/declara :
- Sua mãe foi minha única namorada !!!
No outro dia a filha me questiona ... e eu respondo :
- Pra dizer a verdade eu não fui a única namorada mas se ele me considera assim tô bem na "fita" !!!! (rsrsrs)


...


 Resultado de imagem para quatro de paus tarot


Tudo o que você receberá agora, lembre-se: você merece.

O Quatro de Paus diz que serão notícias de momentos de felicidade e alegria colhidos devido a tudo o que você tem plantado durante sua jornada. 
Agradeça ao Universo porque você está em uma boa caminhada e escolheu a trilha certa. 

Ser grato é uma ótima forma de manter-se puro e em evolução espiritual, assim cada momento será uma eterna aprendizagem.





segunda-feira, 4 de junho de 2018

Four of Cups

The Selkie's Return ~ ( Four Of Cups ) by Julia Jeffrey (Stonemaiden)




... " Make the depths of the stillness as your teacher and then it will make you the teacher of the depths !!! " ... 
 
- Mehmet Murat Ildan -