domingo, 18 de setembro de 2011

- Maria Madalena -

Uma mulher ama,
tão loucamente ama,
que pulsa pelos desejos do mundo,
terra fértil nos ciclos naturais,
desejo de fecundar,
céus de mistério, memórias e símbolos:
desejo de desvendar.

Uma mulher bebe da água profunda,
que não se turva, que no amor se vivifica,
amor dos pés em marcha:
nobre guerreira, doce feiticeira,
gestos suaves, virgem Madalena.

Madalena da beira do rio,
que não pode ser contida,
água das nascentes, de todas as fontes,
intensidade que se derrama em frutos,
filhos, amores.

Amor de Madalena,
Madalena que tudo quer,
Madalena mulher,
penetra o desconhecido
ousa lançar-se no abismo,
e nas entranhas de sua humanidade.

Madalena das catedrais,
dos templos de portas abertas,
dos ventos das primaveras,
que se mudam sempre.
Madalena redentora.
...
- Anna Patrícia -