sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

... dualidade ...

...

... " Em vez de negar o corpo ou a matéria, trata-se de santificá-los, transfigurá-los, através de nossa não-apropriação e de nossa não-identificação a esses planos do real; além disso, a exemplo de Myriam de Magdala na esteira do seu " Bem-Amado ", trata-se de aprender pela Imaginação criadora a colocar o Amor em todo lugar em que faz falta, inclusive, em nossa inteligência e em nosso desejo " imobilizados ", 
" entravados ", " em estado de detenção ", em todo o lugar em que ele deixou de existir " ...

(- trecho do livro - Jesus e Maria Madalena - Para os Puros tudo é Puro - Jean-Yves Leloup )