segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Pensar é viver

...
...  Não tenho nenhuma receita, nenhum facilitador para se entender a vida: ela é confusão mesmo.
A gente avança no escuro, teimosamente, porque recuar não dá. Nesse labirinto a gente encontra o fio de um afeto, pontos de criatividade, explosões de pensamento ou ação que iluminem, por um momento que seja. Coisas que nos justifiquem enquanto seres humanos.

 Tenho talvez a ingenuidade de acreditar que tudo faz algum sentido, e que nós precisamos descobrir - ou inventá-lo. Qualquer pessoa pode construir sua "filosofia de vida". Qualquer pessoa pode acumular vida interior. Sem nenhuma conotação religiosa, mas ética: o que valho, e os outros, o que valem para mim ? O que estou fazendo com minha vida, o que pretendo com ela ?

 Essa capacidade de refletir, ou de simplesmente aquietar-se para sentir, faz de nós algo além de cabides de roupas, ou de idéias alheias. Sempre foi duro vencer o espírito de rebanho, mas esse conflito se tornou esquizofrênico: de um lado precisamos ser como todo mundo, é importante adequar-se, ter seu grupo, pertencer ... de outro lado é necessário preservar uma identidade e até impor-se, às vezes transgredir, para sobreviver.


... como estamos vivendo a nossa vida, esse breve sopro ... e o que realmente pensamos de tudo isso - se por acaso pensamos ? ...

- Lya Luft -