sexta-feira, 16 de agosto de 2013






Onde quer que eu vá
Levo em mim o meu passado
E um tanto quanto do meu fim
Todos os instantes que vivi
Estão aqui
Os que me lembro 
E os que esqueci...
Carrego minha morte
E o que da sorte eu fiz
O corte e também a cicatriz

Mas sigo meu destino
num yellow submarino
Acendo a luz 
Que me conduz
E os deuses me convidam...

Para dançar 
No meio fio
Entre o que tenho 
E o que tenho que perder
Pois se sou só, eu só 
Flutuando no vazio
Vou dando voz ao ar 
que eu receber

Pra ficar comigo
Corro, salto, me equilibro
Entre minha neta 
e minha avó
Fico firme, sigo adiante 
Ante o perigo
Vejo o que me aflige virar pó

As vezes acredito em mim
As vezes não acredito
Também não sei 
se devo duvidar

Mas sigo meu destino
Num yellow submarino
Acendo a luz 
Que me conduz
E os deuses me convidam...

Para dançar 
No meio fio
Entre o que tenho 
E o que tenho que perder
Pois se sou só, eu só
Flutuando no vazio
Vou dando voz ao ar 
que receber

- Rita Lee -