terça-feira, 3 de setembro de 2013

... realizar seu destino é o maior empreendimento do homem ...

" Um carpinteiro nômade chamado Stone viu, no decorrer das suas viagens, em um campo próximo de um altar rústico, um velho carvalho. Disse a seu aprendiz, que admirava o carvalho:
- Esta árvore não tem qualquer utilidade. Se quiséssemos fazer um barco com sua madeira, ele logo apodreceria; se quiséssemos usá-la para ferramentas, elas logo se quebrariam. Para nada serve esta árvore, por isso chegou a ficar assim tão velha.
Mas naquela mesma noite, numa hospedaria, o velho carvalho apareceu em sonhos ao carpinteiro e disse-lhe:
- Por que você me compara às árvores cultivadas, como o pilriteiro, a pereira, a laranjeira, a macieira e todas as outras árvores frutíferas? antes de amadurecerem os seus frutos, as pessoas já as atacam e violentam, quebrando-lhes os galhos e arrancando-lhes  os ramos. As dádivas que trazem só lhes acarretam o mal, impedindo-as de viver integralmente, até o fim, a sua existência natural. É o que acontece em todos os lugares; por isso esforço-me há tanto tempo para permanecer completamente inútil. Pobre mortal! Crês que se eu tivesse servido para alguma coisa teria chegado a essa altura ? Além disso, tu e eu somos ambos criaturas; então como pode uma criatura erigir-se em juiz de outra? Inútil mortal, que sabes a respeito da inutilidade das árvores ?
O carpinteiro acordou e pôs-se a meditar sobre o sonho. Mais tarde, quando o aprendiz perguntou-lhe por que só havia aquela árvore a proteger o altar rústico, respondeu-lhe:
- Cala-te ! Não falemos mais nisso! A árvore nasceu aqui propositalmente, porque em qualquer outro lugar seria maltratada. se não fosse a árvore do altar rústico, talvez já a tivessem derrubado. " 



( história narrada por Chuang-Tzu, um sábio chinês )

...