quinta-feira, 17 de abril de 2014

Os sinais da existência



A vontade da existência é soberana e sempre se impõe sobre os desejos e expectativas do nosso ego. Entretanto, aqueles que não vivem uma vida de conexão com o Todo e não acreditam no poder do plano espiritual sobre o nosso destino, seguem querendo impor sua vontade sobre a vida, a qualquer custo.

Os que já despertaram para esta verdade conseguem interpretar os sinais que a vida lhes envia e, ao invés de querer controlá-la, praticam em todas as circunstâncias a arte da aceitação.

Quanto mais nos rendemos aos desígnios da existência, maiores são as chances de que ela nos traga a felicidade e a paz com que sonhamos. Mas como nossa sabedoria é ínfima, - comparada com a do divino -, muitas vezes não conseguimos compreender que o tempo para a realização dessa meta é exatamente aquele de que precisamos para alcançar a maturidade e a sabedoria necessárias.

Sem elas, ainda que a vida nos traga algo bom, certamente não saberemos valorizá-lo, pois o ego nos trará de volta o medo, a insatisfação e novos desejos, na tentativa de preencher o vazio existencial que resulta de uma vida desconectada da Presença e do verdadeiro sentido de estarmos neste planeta aqui e agora.

Enquanto a certeza de que as provas colocadas em nosso caminho e as escolhas que devemos fazer são desafios evolutivos, assumidos antes mesmo de encarnarmos, não estiver plenamente enraizada em nossa consciência, seguiremos como cegos, tateando no escuro, à procura de uma explicação para os fatos da vida.
Nenhum evento é inexplicável quando se tem como diretriz a perspectiva de que cada encarnação é um degrau no processo evolutivo de nossa alma.

As pessoas e relações mais significativas e que mais mobilizam nossas emoções, são, sem dúvida, aquelas com as quais temos questões cármicas a serem vivenciadas.
Somente a consciência pode nos fazer compreender a espécie de compromisso que temos com cada uma delas, quais aquelas com quem a nossa lição é desapegar, deixar ir, e quais as que vieram para a nossa vida com o propósito de nos ajudar a crescer na vivência do relacionamento íntimo e pessoal e, além disso, compartilhar a realização de algo significativo para o bem comum.

Todos somos parte do atual momento de transição que atravessa o planeta e os obstáculos que temos de enfrentar nestes dias que correm são essenciais para nosso crescimento interior.

Estar aqui, agora, por mais doloroso que às vezes possa parecer é, ao mesmo tempo, um grande privilégio, se atentarmos para o fato de que estamos testemunhando um valioso momento de evolução da consciência humana.


terça-feira, 15 de abril de 2014

" Provavelmente ninguém vai lhe ensinar isto. Dê um jeito de aprender, você vai precisar. Saiba desistir, porque em algum momento da vida isso vai ser necessário. Focar o que é, e não o que poderia ter sido. Colocar a vida à frente do orgulho. Seus desejos à frente do que os outros desejam pra você. Uma ousadia, um disparate, uma loucura, eu sei. Provavelmente ninguém vai lhe ensinar a entender o que você realmente deseja. Mas dê um jeito de aprender. Em algum momento da vida, desistir vai exigir mais coragem que seguir em frente. Desistir será o mesmo que parar de tentar. 

E parar de tentar pode ser finalmente o começo. " 

( http://www.crisguerra.com.br/)

...

segunda-feira, 14 de abril de 2014

" Que seu segredo não entre em minha alma, nem em seu porto meu navio."


( http://tarotdoor.com )

...
"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança:
todo o mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança:
do mal ficam as mágoas na lembrança
e do bem (se algum houve) as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto,
Que não se muda já como soía."


- Luís de Camões -

domingo, 13 de abril de 2014

... " o sorriso é a oração de cada uma das pequenas células que sobe até a boca " ...


... " Quaisquer que sejam os nossos problemas ou fadigas, há em nós uma presença  que sorri, uma presença silenciosa, e é nela que nós nos mantemos ... uma atitude de atenção e de sorriso àquilo que é. Acolher o sopro, acolher o movimento da Vida que se dá em nós e através de nós. " ...

- Jean-Yves Leloup -

... 

sexta-feira, 11 de abril de 2014









... " Eu falei com a língua dos anjos
Eu segurei a mão do demônio
Estava quente à noite
Eu estava frio como uma pedra

Mas eu ainda não encontrei
O que estou procurando
Mas eu ainda não encontrei
O que estou procurando

Eu acredito na vinda do Reino
Então todas as cores
Irão filtrar-se em apenas uma
Irão filtrar-se em apenas uma
Mas, sim, ainda estou correndo " ...


...

quinta-feira, 10 de abril de 2014

... " É fundamental abrir espaço para que aconteça o que tem que acontecer e não apenas o que desejamos. Muitas vezes nossa vontade está baseada em pontos de vista falhos, ideias erradas, falta de informações. Quando afirmamos o que queremos, mas deixamos espaço para que o inesperado ( e mais benéfico para nós ) aconteça, então a magia ganha seu lugar. " ...

- Cacau Gonçalves - 

...

... " isso me lembra aquele trecho de Matrix, em que o Oráculo diz para o Neo que ele não está ali para fazer uma escolha, mas para entender o que já havia escolhido. " ...


( http://viatarot.blogspot.com.br/ )

quarta-feira, 9 de abril de 2014

" Um por todos ... e todos por um "


... hoje em dia essas palavras são uma utopia, caminhamos à passos largos para

" Cada um por si ... e Deus por todos "

Pensado bem, " Deus por todos " não seria também uma utopia ? ... já que alguns alegam que Deus tem os seus escolhidos ? ... então seria ...

" Cada um por si ... e Deus por uma minoria privilegiada. "

E quem seriam  esses escolhidos ? 
... os detentores da verdade ... os mansos de coração ...

E qual seria essa verdade ? 
... bem ... eu nem imagino, já que cada um defende a sua verdade ...

E onde estariam aqueles que se supõem tão mansos,  que neste exato momento não estão travando uma batalha interior ?
... imagino também que esses já estariam do outro lado do véu ...



Cada um defende a sua verdade ... e quando essa verdade não condiz mais com a verdade do grupo ao qual pertencemos, nós simplesmente "pulamos" fora. 
Abrimos outras igrejas ... outras sociedades ... outras filosofias ...
Angariamos adeptos ... fundos ... verdades ...
... fortalecendo assim um mundo de intolerância e ilusões ...

Estamos muito longe da verdade ... pois, a verdade não condiz com a realidade na qual vivemos.
Estamos pobres ... pois dinheiro nenhum é capaz de comprar a nobreza de espírito a muito perdida.
Estamos secos e infrutíferos ... pois o Amor deixou de ser o alimento da nossa essência.

Em um mundo de interesses e falsos poderes ... o Guerreiro está só !!!

" Somos um exército
Exército de um homem só
No difícil exercício de viver em Paz "


... 


terça-feira, 8 de abril de 2014

sábado, 5 de abril de 2014

sexta-feira, 4 de abril de 2014





... " Eu quebro tradições, algumas vezes minhas tentativas,são fora dos limites
Nós fomos condicionados a não cometer erros
Mas eu não posso viver desse jeito

Encarando a página em branco a sua frente
Abra a janela suja
Deixe o sol iluminar as palavras que você não pôde achar " ...

quinta-feira, 3 de abril de 2014


A primeira história sobre a Divisão nasce na antiga Pérsia: o deus do tempo, depois de haver criado o Universo, da-se conta da harmonia à sua volta, mas sente que falta algo muito importante - uma companhia com quem desfrutar toda aquela beleza.
  Durante mil anos ele reza para conseguir um filho. A história não diz para quem ele pede algo, já que é todo-poderoso, senhor único e supremo; mesmo assim ele reza, e termina engravidando.
  Ao perceber que conseguiu o que queria, o deus do tempo fica arrependido, consciente de que o equilíbrio das coisas era muito frágil. Mas é tarde demais - o filho já está a caminho. Tudo que ele consegue com seu pranto é fazer com que o filho que trazia no ventre se divida em dois.
  Conta a lenda que, assim como da oração do deus do tempo nasce o Bem         ( Ormuz ), do seu arrependimento nasce o Mal ( Arimã ) - irmãos gêmeos.
  Preocupado, ele arranja tudo para que Ormuz saia primeiro do seu ventre, controlando o seu irmão, e evitar que Arimã cause problemas no universo. Entretanto, como o Mal é esperto e capaz, consegue empurrar Ormuz na hora do parto, e vê primeiro a luz das estrelas.
  Desolado, o deus do tempo resolve criar aliados para Ormuz: faz nascer a raça humana, que lutará com ele para dominar Arimã, e evitar que este tome conta de tudo.
  Na lenda persa, a raça humana nasce como aliada do Bem e, segundo a tradição, irá vencer no final. Outra história sobre a Divisão. entretanto, surge muitos séculos depois, dessa vez com uma versão oposta: o homem como instrumento do mal.

  Penso que a maioria sabe do que estou falando: um homem e uma mulher estão no jardim do Paraíso, gozando todas as delícias que possam imaginar. Só existe uma única proibição - o casal jamais pode conhecer o que significa  Bem e Mal. Diz o Senhor Todo- Poderoso ( Gên 17 ); " Da árvore do conhecimento do Bem e do Mal não comerás. "
  E um belo dia surge a serpente, garantindo que esse conhecimento era mais importante que o próprio Paraíso, e eles deveriam possuí-lo. A mulher recusa-se, dizendo que Deus a ameaçou de morte, mas a serpente garante que no dia em que souberem o que é o Bem e Mal, serão iguais a Deus.
  Convencida, Eva come o fruto proibido, e dá parte dele a Adão. A partir daí, o equilíbrio original do Paraíso é desfeito, e os dois são expulsos e amaldiçoados. Mas existe a frase enigmática, dita por Deus, que dá razão à serpente: " Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do Bem e do Mal. "
  Também neste caso ( igual ao do deus do tempo que reza pedindo algo, embora seja o senhor absoluto ) a Bíblia não explica com quem o Deus único está falando, e - se ele é único - por que está dizendo algo como " um de nós. "
  Seja como for, desde suas origens a raça humana está condenada a se mover na eterna Divisão entre os dois opostos. 

...

- Paulo Coelho - 

terça-feira, 1 de abril de 2014


... Minha vó Maria Cabral, ficou viúva aos 33 anos ... criou cinco filhos sozinha, passando mil e uma dificuldades.
Um dia, quando eu era ainda adolescente, perguntei a ela por que não se casou novamente. Então ela me disse que não queria nenhum padrasto "judiando" de seus filhos ... acho que esse sentimento era um reflexo do que ela havia passado nas mãos da madrasta.

Não quero generalizar as situações, pois eu sei muito bem que existem madrastas e padrastos que são verdadeiros "pais e mães" ... e sei também que há pais e mães que são verdadeiros "padrastos e madrastas".

A minha dor é ver a cada dia a maioria das famílias se deteriorando ...  perdendo todo o sentido de cuidado ... de amor ... de valores que protegem a essência de seus membros. 
É só violência, descaso, indiferença ... e valores fúteis ...
Eu já nutria esse sentimento de indignação a muito tempo ... mas, agora tudo ficou a flor da pele, com uma fatalidade que aconteceu a um amigo de infância ... perdeu um neto ... violência doméstica ...

Fui de um extremo a outro ... amor e ódio na mesma intensidade ... tentando proteger ao máximo os meus e punir aqueles que se utilizam da covardia para machucar os indefesos ...
Depois de uma noite agitadíssima, ainda acordei com a vontade de gritar :

- CORTEM AS CABEÇAS !!!!!!!!!!

...