sábado, 28 de março de 2015

... " Lembre-se, Diana, as maiores maravilhas que experimentamos são misteriosas. Toda a arte e ciência verdadeiras têm a sua origem em tais maravilhas. Aquele para quem esse tipo de experiência causa estranhamento, aquele que não se detêm para admirar e se extasiar em veneração, é como um morto cujos olhos já estão fechados. " ...

( trecho do livro A Descoberta Das Bruxas - Deborah Harkness - atribuído a Albert Einstein )

...

quinta-feira, 26 de março de 2015

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nos queremos.
Só nos somos sempre
Iguais a nós - próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex - voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.



- Fernando Pessoa -

terça-feira, 24 de março de 2015

Bolo de Maçã e Aveia

Pois é, bolo aqui em casa mudou de formato e tamanho ... sem a Laura para me ajudar, tive que adaptar para a forma de bolo inglês ...
... ficou muito bom, mas poderia ter ficado melhor se eu não tivesse o colocado no forno e me perdido aqui dentro ouvindo música (rsrs) ... cheguei a tempo e ele ficou com uma cobertura levemente crocante ( pra não dizer levemente queimada ... kkkkkkkkk ... )

Vou registrar a receita aqui ... pois, fui colocando o que tinha na geladeira e na despensa ... 

1 xícara de açúcar mascavo
2 ovos
1 maçã ralada 
1/2 xícara de óleo
1 xícara de aveia
1/2 xícara de farinha de trigo integral
1/2 xícara de farinha de trigo branca
1 colher ( sopa ) de fermento
canela e uva-passas

Forma untada e enfarinhada ... cobertura de açúcar cristal e canela ... 

...

Agora é só preparar o chá !!!

quarta-feira, 11 de março de 2015

... " A mim seduzem silêncios tanto quanto palavras ...

A mim, me interessa o que normalmente ninguém valoriza: escrevo tateando o avesso das coisas, de onde nos vem o medo, que impulsiona tanto quanto o desejo ...

... Nem sempre acerto o tom, nem sempre encontro palavras, eventualmente magoo a quem amo e agrado a quem deveria censurar.
Palavras são animais esquivos, ninguém as domestica, ninguém consegue fugir ao seu poder. ( nem sabemos o poder que elas têm e concedem ) " ...

- Lya Luft - 

segunda-feira, 9 de março de 2015

O sentimento faz a liga, fluido no link. Você está plugado?



... " Encontro com a intimidade. 
Centrípeta, a seiva se move para as raízes, nutrindo-se no silêncio, rumo à fonte. 
Caminho à flor das peles que se vão em transformações sucessivas, a etapa final deste ciclo lunar sugere mergulhos fundos, coragem de auto revelação. 
... ecos de oceanos atemporais, voz de infinitos que a todos pertence. 
Conversa peculiar, sem dizer palavra. 
Leituras múltiplas são entrelinhas para chegar mais perto da totalidade e tanger a lira, música de esferas. " 

- Amanda Costa -


sábado, 7 de março de 2015

Às vezes eu pego a Grande Mãe me espiando pela porta

...

Quantas vezes Ela me viu entretida entre sons e palavras ... e no mesmo instante prevendo um tornado prestes a tocar o chão ela grita ao meu anjo da Guarda:
- Corre e acode aqui ... pois, o bicho vai pegar !!!

Quantas vezes Ela tentou me falar ... mas a gritaria dentro de mim era tão forte que eu nem percebi que Ela estava ao meu lado.

Quantas vezes Ela segurou minhas mãos para que eu não desembainhasse minha espada.

Quantas vezes Ela tentou me silenciar ... e meu grito feriu pessoas inocentes.

Quantas vezes Ela sinalizou o caminho para que eu não me perdesse ... mas eu corria tanto que não prestei atenção às placas indicativas.

Quantas vezes Ela me pediu para caminhar mais um pouco e eu me achava muito fraca para fazê-lo ... sentando assim na beira da estrada com o calor escaldante do deserto minando minhas últimas forças.

Quantas vezes Ela secou minhas lágrimas ... mas eu nem percebi, pois achava que aquela dor era maior que o seu poder de cura.

Quantas vezes Ela velou meu sono ... não deixando meu espírito ir muito longe, correndo o risco de me perder no infinito.

Quantas vezes Ela riu das minhas fantasias infantis ... e ralhou comigo quando passei dos limites.

Quantas vezes Ela colocou palavras em meu coração que nunca foram ditas ... interrompendo assim a sequência dos acontecimentos.

Quantas vezes Ela desmanchou meu trabalho para que eu o fizesse melhor, pois sabia da minha capacidade ... mas por pirraça me recusei a fazê-lo novamente, amontoando assim trabalhos inacabados.

Quantas vezes Ela me esperou no portão, enquanto saía batendo a porta do meu coração dizendo que aquele não era o meu caminho.

Quantas vezes Ela me golpeou para que eu aprendesse a ser humilde.

Quantas vezes ela sufocou meu grito de medo para que eu não chamasse a atenção dos meus inimigos.

Quantas vezes ela ergueu muralhas enquanto eu lutava contra moinhos de vento ... deixando assim o inimigo real se aproximar do meu castelo.

Quantas vezes ela levantou o meu escudo mais alto amortecendo assim o golpe dos meus demônios interiores.

...

Às vezes eu pego Ela me espiando pela porta ...
... então ela me viu entretida em mim ... entre linhas, cores, sons e paz !!!
Eu olhei para Ela e sorri ... Ela suspirou e sorriu dizendo, pela segunda vez:
- Não perca sua virgindade ... você é muito importante para o meu filho !!!

E eu respondi:
- Eis-me aqui Ó Mãe ... que seja feita a Vossa vontade em mim !!!


...