sexta-feira, 15 de abril de 2016

 




Não há tempo que me leve ao esquecimento
Não há espaço que me separe da Tua presença
Não há dúvida que apague o Teu nome
Não há perseguições que me afastem dos Teus ensinos
A Tua Divina Luz me aponta o caminho
O Teu Divino amor me faz prosseguir
A Tua Divina voz, doce e firme me ensina a confiar.
Antes eu era peregrina em busca de Ti, caminhante do Astral procurando tua morada, buscando tua face.
Perguntava às estrelas aonde podia Te encontrar, ela sorriam, como se guardassem um segredo profundo. Entrei nos templos sagrados, subi as altas colinas, ajoelhei-me ao pé da cruz, eu queria apenas Te reencontrar.
Então um moço incrédulo me perguntou, zombando do meu amor, por que eu caminhava tanto em busca de Ti, colocando à prova minha fé, jorrando calúnias seculares, denegrindo Teu sagrado nome mais uma vez, 'ela é uma ilusão', disse ele cuspindo veneno.
Naquele momento, vesti Teu manto vermelho rubi, minha face assumiu a firmeza de ser filha Tua, meus olhos semi-serraram para que pudesse contemplar o horizonte e sentir minha respiração profunda e suave. Senti meu coração que pulsava com a Terra. Sorri, e disse a ele com paixão:
"A minha Mãe é a Dona deste manto, a Rainha de todos os recantos desta Terra, é protetora do meu ventre e do meu coração. Minha Mãe já viveu aqui, moço, mesmo sendo pura luz, desceu à matéria e foi mulher como eu. Já foi menina a teve que aprender a crescer, já se apaixonou, e sabe exatamente o que sinto quando rezo pedindo acalando ao meu coração. Minha Mãe sabe como é ser mulher, ensinou-me sobre o beijo e sobre a união sagrada. Minha Mãe já foi mãe nestas Terras, já pariu, já amamentou e embalou sua criança nos braços com grande amor. Sentiu a dor dilacerante de ver seu amado ser crucificado. Minha Mãe, sabe o que é assumir uma missão sagrada, aceitar os desígnios do Pai, teve que assumir Seu manto vermelho e confiar em Si, mesmo quando poucos acreditavam Nela. Minha Mãe venceu preconceitos, fez-se ouvir, ensinou o Caminho do Amor. Minha amada Mãe, vivenciou na matéria tudo que uma mulher pode aqui viver, fez isso por mim, e por todos nós. Minha Mãe ancorou o fogo do amor nestas terras, moço. E mesmo tendo Seu nome denegrido e Sua história distorcida, ama a todos nós, e roga ao Pai pela nossa cura e ascensão." Tudo silenciou.
Quando abri os olhos, e olhei ao redor, o miserável e incrédulo ser já havia desistido e partido, eu havia triunfado na fé.
Sorri, como as estrelas sorriram, pois acabara de descobrir o segredo delas. 
Mergulhei em profunda paz.
O tempo todo a Senhora estava ali, tão presente, tão viva e pulsante. Foi naquele momento, que eu Te encontrei, doce e amada Mãe, encontrei a minha Senhora, dentro de mim! Todo o Seu poder feminino, os Seus ensinos, a Sua doçura e firmeza transbordavam desde dentro do meu coração e abrangiam o mundo todo. Reencontrando-te, descobri, minha amorável Maria Madalena, que jamais estive só, pois me habitas desde o princípio. O silêncio do meu coração é o templo sagrado de nossa união. Rogo ao Pai que eu possa sempre honrar Teu Sagrado Nome, Tua Sagrada Presença, Teus Sagrados Ensinos.
Hoje ainda sou peregrina, sim, não mais em busca de ti, pois já sei aonde te encontrar, mas peregrino como guardiã do Teu Sagrado Poder, guardiã da Verdade, Guardiã do Caminho do Amor que um dia me ensinaste.
"Eu te amei no passado, eu te amo no presente e te amarei novamente. O tempo retorna."
Assim é.