quarta-feira, 22 de junho de 2016

Meu único dever na vida é permanecer verdadeiro e fiel a mim mesmo.







Abandonar as máscaras, renunciar à segurança oferecida pelo desempenho de papéis conhecidos significa abdicar voluntariamente de mecanismos de defesa habituais. Por meio da espada do discernimento profundo essa mulher passa a reconhecer que as máscaras que usa não só a protegem e camuflam, mas também a separam de si mesmo e dos outros.
O rompimento enérgico de suas máscaras a libera e como Rainha de Espadas lhe permite escapar às nuvens da ignorância que a impedem de chegar à lucidez e a abertura,
A coroa em sua cabeça, símbolos de nova lucidez, sustentam as joias da sabedoria. Ele está preparada para deixar as máscaras caírem sem se deixar enredar nas complexidades emocionais das circunstâncias.