domingo, 14 de agosto de 2016

... " Eu a olhava intrigada e ela continuou:
- Acreditamos no cérebro, um rei que nós mesmas entronizamos. Obedecemos-lhe e acabamos escolhendo estacas intoxicantes, como por exemplo o medo do sucesso, do fracasso, da morte; ou não nos achamos suficientemente boas. Sentiu-se assim do alto do desfiladeiro. Teve que ser incentivada, além dos limites impostos por seu rei, para ver que seu auto conceito era uma ilusão. Era o seu vício, e ele a impedia de crescer em direção a seu próprio mistério, seu próprio esclarecimento ...
Se um apego não funciona, você encontra outro, novo.
Teve medo de saltar sobre o abismo, mas acabou saltando e, novamente, superou seus limites autoimpostos. " ... 

( A Mulher Jaguar - Lynn V. Andrews )

http://viatarot.blogspot.com.br