sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Diário de Bordo

Depois que eu me cansei de "zapear" pelo Instagram e pelo Pinterest, me entreti com minhas linhas, agulhas e tecidos ... 
E é quando minha mente viaja livre, de qualquer contato visual que não seja o ato contínuo e hipnótico da agulha atravessando o tecido, que ocorrem vários insights ... e dessa vez me veio à mente um livro que a muito tempo atrás eu li e que a muito não folheava ( tenho essa mania de folhear livros e reler trechos grifados com caneta marca texto ) ... 
Enfim ... deixei a costura de lado e fui buscar o tal livro ... depois de folhear e reler algumas marcações não achei nada relevante para o atual momento ... mas, eis que ao fechar o livro notei algumas folhas dobradas na aba da contra capa, e relendo o texto impresso, me peguei sorrindo surpresa ... 
" Nossa eu imprimi e guardei isso, que garota esperta !!! ... rsrs
Segue então trechos do texto impresso ...

... "  Livre-Arbítrio é um poder de escolha, que determina a velocidade com que evoluímos, de modo que vamos na base da tentativa e erro tentando encontrar, em nossa senda evolutiva, o caminho com menos tropeços ... 
Carl Jung dizia: - Livre-Arbítrio é a capacidade de fazer de bom grado o que era preciso fazer. 

...

O exercício do livre-arbítrio é o caminhar. Sem ele, podemos ter a ilusão de estarmos seguindo junto com a correnteza, mas na verdade estamos estagnados, estamos cegos, pois o que não é feito sem surgir a partir do seu mais profundo íntimo é feito mecanicamente, e o que é feito mecanicamente não é transportado ao espírito. Se não tomamos as rédeas de nosso destino, se não fazemos escolhas e as delegamos a outros, não estamos nos aproximando de verdade alguma, nosso corpo se move, temos sensações mas somos sempre os mesmos.


...


Existem pessoas que só enxergam um lado ... são fanáticos ... não percebem que a verdade tem várias facetas nenhuma pessoa pode chegar dizendo que o único caminho e a única verdade está nas suas crenças ... temos o livre-arbítrio não é verdade ? Então cada pessoa tem o direito de escolher o seu caminho, e ele será a sua verdade.


...

Todos nós chegamos a este mundo com uma bagagem. Uma maleta cheia de coisas boas e também de coisas ruins. E precisamos, a cada dia, saber organizar e direcionar os pertences dessa mala. Sentimentos, desejos, comportamentos, experiências, conhecimentos ...
No fim, sabemos que algumas coisas são irrefutáveis e de uma maneira ou de outra tendem a acontecer, pois é nossa missão contida ali, faz parte do nosso carma. Mas muito pode ser mudado, contornado, aliviado. Experiências ruins podem ser transformadas em lições proveitosas e quando aquela mesma energia se fazer presente temos a experiência de contorná-la de maneira mais clara e consciente!
Por fim, percebemos quão intimamente relacionados estão o livre-arbítrio e a verdade. Praticar o livre-arbítrio é buscar se aproximar e concretizar a verdade. " ...

...

Por muito tempo eu me incomodei com o que as pessoas iriam pensar de mim ... como elas iriam julgar meus atos ... como elas interpretariam meu não ... como elas aceitariam meu sim ...
Hoje isso tudo ficou lá trás ... um lá trás recente, mas com uma sensação de estar tão tão distante que mesmo encontrando algum gancho (geralmente em forma de sonhos), eu não consigo traze-las à tona ... e quando vem, são pequenos fragmentos ... incompletos ... 

Bem, acho que é isso ... agora deixa eu voltar para minha agulha e linha ... rsrs




... " Quando uma pessoa está em paz com suas crenças ... ela está percorrendo o caminho certo. " ...