segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

O divino e o destino.


A existência no corpo físico é apenas uma etapa de nossa jornada, uma etapa bastante importante, nela aprendemos inúmeras lições e convivemos com as limitações impostas pela tridimensionalidade. Compreender essa importância e valorizar essa vivência é uma das maiores lições a serem aprendidas.
Com todo potencial espiritual, com todas as oportunidades que recebemos para expandir nossas virtudes e trabalhar nosso ego magnânimo, desperdiçamos enorme energia acreditando que não é chegada a hora, que ainda falta aprimoramento, que o destino ainda não bateu à nossa porta.
Que é o destino? O que está efetivamente destinado? Somos o resultado do que criamos, desejamos, empreendemos, pensamos, sentimos. Nossa vida é o resultado do que somos. O destino… ora, o destino é a dádiva de continuarmos vivos, de encontrarmos pessoas que nos ajudam em nossa jornada – mesmo achando que algumas nos atrapalham. O destino está na mortalidade, na finitude, na impermanência. No mais, tudo é fruto de nossa própria ação e condução.
Olhemos à nossa volta. Estamos vivos! Aproveitemos a vida, a maravilhosa oportunidade de estar aqui e agora, de saber que somos seres divinos, seres maravilhosos, seres repletos de dons e talentos. Temos tudo do que precisamos, nada nos falta. Realizemos nossas mais puras e verdadeiras intenções. Soltemos os freios e encaremos a vida em toda sua intensidade!

- Magda Kumara -

( https://taroautoconhecimento.wordpress.com )