domingo, 27 de agosto de 2017

Diário de Bordo ...... quando chegamos era só pasto ...


... um mato selvagem ... locais disseram para jogar veneno para amansar o mato e eu não quis que fosse dessa forma.
Disseram para arar a terra, e assim arrancaria a grama pela raiz ... mais uma vez eu não concordei, não queria deixar a terra exposta, tinha que haver outra maneira de trabalhar essa terra seca, pois era época de estiagem, difícil de capinar ...

 ... abrimos estrada, fizemos a praça onde será a casa ... roçamos boa parte do terreno ... aramos outra parte e não deu certo ( talvez a pessoa não soube fazer direito ... talvez fosse um sinal para que não fizéssemos isso )



... seguimos na capina ... fazer aceiros ... cavar covas ... plantar.
... no primeiro final de semana seguimos para o sítio com 10 mudas de ipê amarelo, fazíamos covas pequenas sem muito preparo ... ansiedade de principiante



...


Depois fomos instruídos a fazer covas maiores, adubo e calcário. 
E assim o fato de melhorar a terra já não crescerá tanto mato invasivo ... 
... sigo acreditando nisso ...

Vida que segue ...
... eu capino ... marido faz a cova ... eu adubo ... marido joga calcário ... eu planto ...
Se chover todo mundo agradece ...