terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Mais um ano finda arrastando consigo perguntas sem respostas 
... hoje sem a intensidade juvenil das palavras, mas que ainda gera questionamentos

E num último clamor ao Universo segue a ladainha das palavras repetidas que ecoam e voltam 
... hoje sem o romantismo dos encontros desejados, mas com a segurança de ser o que é

Atenta para os detalhes que se passaram despercebidos e se antes o desejo de um Príncipe/Rei de Copas povoava o imaginário, hoje percebe-se que o papel de Príncipe de Paus era o real ... um espírito audacioso capaz de promover mudanças no cerne, a alma indomável ansiosa por pôr em liberdade os pensamentos ... enquanto em mim um 6 querendo talvez ser um 9 na dúvida entre o rompante e a reclusão do caminho procurava por sinais, tentava seguir a intuição cada vez mais equivocada a decisão tomada sem a certeza do caminho, mas algo precisava ser feito ... e assim se fez ...

Hoje ele parte para um novo ciclo correndo riscos, como sempre, de um Julgamento das 20 esferas sutis ...mas, não há o que temer quando se é sincero e fiel aos seus princípios.
Eu sigo tentando ponderar o imponderável ... equilibrar um 8 em toda sua infinidade de formas sem se deixar levar pelos impulsos e emoções, então sigo em palavras práticas e racionais dando vazão a necessidade de me descobrir no caminho ... e assim o é ...

E no futuro ... no futuro há possibilidades de reinos avançados, mas são só possibilidades ... tudo pode mudar na próxima curva ...

...